Me ensine a respirar...

Me ensine a respirar quando o vento entrando pela janela aberta trouxer poeira demais pra dentro dos meus olhos muito abertos, me lave com suas palavras.

Me ensine a respirar quando eu perder a coesão e não ter mais sentido exclamações ou interrogações,  me envolva com suas reticências...

Me ensine a respirar quando os meus passos se perderem no meio das minhas palavras e eu não souber mais onde estar em casa, me faça um casulo, diz que é só uma fase de lagarta que ainda não sabe voar.

Me ensine a respirar quando eu ficar com medo do escuro e ainda faltar muito pra amanhecer, me esquente com a sua solidão.

Me ensine a respirar quando eu sentir muita saudade do que eu não posso mais ser, me ensine a eternizar sem a dor, deixa apenas o que de bom ficou.

Me ensine a respirar quando eu me sentir pequena demais diante dos acontecimentos , me ague com verdades e não me acalme com doces mentiras.

Me ensine a respirar quando o tempo não for suficiente pra curar aquelas  marcas profundas demais,  me fale sobre coisas superficiais e bonitas, me mostre a outra face da moeda.

Me ensine a ser menos intensa, tensa, me enlace com sua calma calculada, suas sentenças comedidas.


Me ensine a respirar quando o meu relógio acabar a bateria e for feriado, quando eu não tiver mais nada a dizer e ainda assim querer...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

FRACTAIS DE MIM

"Eu já morri!"

AINDA NÃO CHEGAMOS AO XEQUE-MATE