Carta finita para alguém infinito...

Tom!

Hoje eu me peguei lembrando da gente quando éramos crianças, fugindo pra brincar no parquinho, pulando a janela da sala escondido pra mexer com as massinhas, escalando as árvores mais altas. Lembrei-me de quando eu te acordava nos sábados, você com a maior cara de cansaço e de que queria dormir mais, sorria me convidando para o café e me fazendo sentir bem vinda. Você deixando seus afazeres pra mais tarde só pra ir me dar um abraço por que eu estava chorando (a primeira vez que você me viu chorar), me dando colo sempre que eu precisei, e puxões de orelha todas as vezes que eu mereci.

16 anos que você faz parte do meu “mundo”, 16 anos que você faz do meu mudo um lugar melhor, mais suportável, engraçado, amável e bunito(assim com u mesmo). Muito tempo dado que eu só tenho 21, é quase a minha vida toda. E eu nunca consegui falar de você. Você sempre me escreveu textos enormes falando de mim, da nossa amizade, textos que eu sempre respondia com frases pequenas porque eu não sabia como te colocar num texto, por que você não cabe. Você não cabe nas linhas de um poema, nem mesmo num livro inteiro você cabe. Falando a verdade, você não cabe sequer em você mesmo, você transborda, alaga, invade, toma conta, você é uma avalanche...

Você se entrega de uma forma tão intensa, em tudo que você faz você está inteiro. É você inteiro nos desenhos e rabiscos das minhas agendas e cadernos, em cada um em particular você está inteiro. Você é inteiro na calma com que você me dá um conselho numa conversa de horas (e eu sinto que você parou o mundo só pra me ouvir), e também está inteiro quando briga por 5 minutos ao telefone (sucintamente você diz tudo), até mesmo em um simples “oi” você está inteiro. Você não se divide, é todo em tudo. E é inteiro com leveza e graça impar, natural assim.

Você diz o que precisa ser dito como se soubesse todas as palavras (quando tem que ser rígido e quando tem que relevar), percebendo cada detalhe como se estivesse em todos os lugares. Mas você só conta o que percebe se for preciso ou propicio, se não for você guarda. Você guarda os meus assuntos que sabe que eu não consigo falar sobre, guarda os segredos que te contam e que ainda não estão prontos pra serem revelados. Você guarda os seus sentimentos quando percebe que eles não podem prosseguir. E você guarda tudo, sem deixa um vestígio de que você sabe, ou uma pontinha de que você sente. É assim, inteiramente oculto ou absolutamente revelado.

E até mesmo minha mania de estar sempre sumindo da vida das pessoas você consegue entender e administrar, você me deixa no meu canto quando eu preciso de espaço, respeita o meu silêncio. Mas me trás de volta quando estou indo longe demais, me recebendo em seus braços como se eu nunca tivesse ido embora. E você senta e quer saber tudo que eu fiz (dando opinião em tudo), e me conta da sua vida enquanto eu estive fora. E estando com você, rodeada pela sua integridade eu quase sou inteira também...



Comentários

  1. Palavras nao conseguem imprimir o sentimento que sinto por voce e pela nossa historia.! A cada dia que passa somos mais proximos, mesmo estando longes fisicamente. Te amooooo minha TK

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

FRACTAIS DE MIM

"Eu já morri!"

AINDA NÃO CHEGAMOS AO XEQUE-MATE